A rotina da casa pro trabalho e do trabalho pra casa pode ser um tanto quanto frustrante. Existem pessoas que se realizam na profissão ou na dedicação à família, e isso é muito bom. De outro lado, há pessoas que se sentem desmotivadas e frustradas em estarem apenas presas a atividades cotidianas.

As, no mínimo, 8 horas dedicadas ao trabalho “produtivo” são uma conveção, um acordo geral mais ou menos imposto e passado adiante por inércia. Chegar em casa e se dedicar a atividades que sejam apenas prazerosas é uma grande válvula de escape da pressão, incertezas e estresse do dia a dia. Qualquer coisa que você quiser ser ou fazer, só depende de você.

Claro que, todos temos contas para pagar e trabalhos que ocupam 1/3 do dia, mas isso não tem nada de errado. A sociedade em que vivemos funciona assim, e continuará por um bom tempo dessa forma. E isso não deve ser desculpa pra você não começar aquele seu projeto que está guardado e que realizá-lo é seu sonho.

Como começar?

Primeiro de tudo, arranje tempo (aqui fiz um post sobre isso). Um projeto paralelo será tocado no nosso tempo livre, então o tempo é nossa matéria prima e, quanto mais melhor. Às vezes assistir TV, que era pra ser uma atividade de alguns minutos, acaba nos ocupado por horas. Olhamos para o celular e uma hora já passou voando. Por que não cortar o tempo olhando o feed do Facebook pela metade? A outra parte do tempo pode ser usada para o projeto. Faça o que for necessário para desocupar o seu tempo livre (estranho isso…).

Com o projeto em mente, crie uma lista de atividades pra que esse projeto tome forma. Essa lista serve pra quando for fazer algo relacionado a sua ideia, tenha claro o que deve ser feito. Tudo deve ser listado e ordenado por prioridade. Caso falte algo, pode incluir posteriormente sem problemas. Cada vez que sobrar um tempinho livre, abra essa lista e veja qual é a tarefa no topo da lista.

Ah sim, o desafio vai parecer monstruoso, mas dividir em tarefas pequenas e simples ajuda muito. Tente estabelecer tarefas que podem ser executadas em pouco tempo, coisa de 1 hora. Qualquer progresso é um progresso. E aos poucos a coisa vai ganhando forme e você verá resultados mais concretos.

Torne sua vida (e você) mais interessante

Alguém que tem projeto paralelo é uma pessoa com interesses e objetivos diversos. E isso é um bom tema para uma conversa. Além de aprender sobre diferentes assuntos, seus progressos e realizações podem ser assunto de conversas com seus amigos ou pessoas que acaba de conhecer.

Falando em pessoas que acaba de conhecer, está aí uma oportunidade de conectar-se com pessoas com interesses semelhantes. Seu círculo social vai expandir consideravelmente depois que você começar a se dedicar a projetos paralelos.

Outro detalhe muito importante é que você ganhará uma nova fonte de paixão, realizações e objetivos. Ao entrar no mercado de trabalho, as oportunidades de realizações pessoais perdem espaço para o crescimento na carreira e realizações profissionais. Qual foi a última vez que você fez alguma coisa só por você, do início ao fim? Quantas vezes você saiu da sua zona de conforto e foi aprender algo novo nos últimos meses? Talvez você tenha uma lista com coisas que precisa fazer antes de morrer e ela sempre acaba em segundo plano por causa do trabalho.

Seu projeto pode te ajudar profissionalmente ou se tornar uma fonte de renda

Nem tudo nessa vida é dinheiro. Projetos paralelos não são sobre dinheiro, são sobre você. Como já falei, você deve ter seu emprego que ocupa oito horas de dedicação diária, então deixe o lado financeiro de lado por um momento e pense nos benefícios que o projeto pode te trazer.

Seja lá qual for seu trabalho agora, é provável que você seja pago pra realizar uma única tarefa. Em um projeto paralelo você terá que fazer tudo praticamente sozinho: marketing, relações públicas, design, programação, contabilidade (se der dinheiro…), etc. Isso tudo servirá como aprendizado.

Também, ideias para o trabalho podem surgir destes projetos. Habilidades que você não tinha e que podem ajudar a conseguir uma promoção ou um emprego melhor, te mostrar uma oportunidade de negócios ou ajudar a descobrir o que você quer fazer da vida podem surgir de projetos paralelos.

E se aquele projeto, que criamos por que gostamos, tornar-se o “emprego” dos seus sonhos? Já pensou que demais seria? A partir do momento que começamos a fazer aquilo que a gente gosta, é “só” dar retorno financeiro pra ele se tornar o emprego dos sonhos.

E se nada der certo?

Está aí uma coisa que ninguém quer pensar, mas tem sido muito frequente: e se você, de repente, descobrir que não vai precisar trabalhar amanhã pois foi demitido? Bom, se isso acontecer, já pensou que seu projeto paralelo pode ser seu plano B? Conheço pessoas que já seguira esse caminho, ou melhor, anteciparam e se demitiram para focar nos seus projetos. Claro que deixaram de ser um projeto paralelo pra tornar sua principal ocupação.

A minha dica: comece já!